Vidas Memeiras – Mc Nego Bam

Em papo, o Mc conta como o poder dos memes mudou sua vida


5
5 pontos

Malaaandrameente, o MemeAwards inocente……

Com certeza você leu com o ritmo do funk… – ah, a intenção era essa mesmo!

Foi esse hit que, em 2016, transformou a vida de Mc Nego Ban, cantor de funk carioca. Raphael Silva Bento era gesseiro e pedreiro até sua rotina e carreira mudarem por completo com o sucesso de sua parceria com Mc Nandinho. 

A história de Nego Bam, que ficou ainda mais conhecido pela música “Malandramente”, é a primeira que vamos trazer no quadro Vidas Memeiras. A partir de hoje, vamos trazer periodicamente histórias de pessoas que tenham sido impactadas diretamente pelo poder dos memes ou do viral.

Então, bora conhecer melhor essa história e saber mais sobre o próprio Nego Bam!

Mas antes de tudo, vale destacar que uma das características mais marcantes do cantor é sua capacidade vocal, pois ele consegue atingir um tom musical similar ao dos cantores de ópera. Esse detalhe foi inédito no mundo do funk e possibilitou o “nós se vê por aiii” bem grave que a gente conhece.

Foi em 2016 que ele e o parceiro Nandinho gravaram “Malandramente” com Dennis DJ e fizeram diversos shows juntos. Logo depois, aproveitaram o embalo e gravaram outros dois singles: “Vai rebolar” e “Pitú”. 

Mc Nego Bam e a SAM

Foi na época do lançamento de “Malandramente” que Gabriel Félix, fundador da South America Memes, conheceu Nego Bam. Ele já era um meme importante na SAM e participava ativamente do grupo no Facebook.

Com a divulgação do hit pelo canal, a música viralizou, e ficou conhecida internacionalmente – esteve no topo das listas em países da África e da Europa. A partir daí, a dupla se apresentou no Faustão e participou de vários outros programas, com entrevistas e apresentações. O hit também foi cantado em shows de artistas de peso, como Luan Santana, Cláudia Leitte, Anitta, Wesley Safadão e Ludmilla.

No MemeAwards de 2019. Nego Bam foi indicado na categoria “Melhor artista em meme”, vencida por Pedro Cardoso (o eterno Agostinho Carrara). Segundo Bam, ele já está de olho nos preparativos para edição 2021!

Conheça o meme feito pela SAM que fez a música se espalhar por todo canto do Brasil e chegar a outros países:

Então, agora que você já sabe um resumo da história, confira a reportagem que a SAM fez com Nego Bam e Nandinho em 2019 e, logo depois, o papo que tivemos com ele!

Nós se vê por aí!

ENTREVISTA – MC NEGO BAM

QUANDO FOI QUE VOCÊ COMEÇOU A CANTAR OU NOTOU QUE TINHA UM DOM PRA MÚSICA?

Comecei com mais ou menos 12 anos, cantava em festinhas de rua que tinham onde eu morava. Meu irmão, que já fazia rap, participou de um concurso de talentos e se aproximou de uma equipe da Band. Quando ele saiu na TV, comecei a ficar ainda mais animado com a ideia de trabalhar com música.

Com o tempo, comecei a dar uma palhinha nas festinhas dos amigos, na escola e tal, sempre com funk melody (o estilo favorito da época).

ALÉM DO SEU IRMÃO, QUAIS FORAM SUAS PRINCIPAIS REFERÊNCIAS MUSICAIS?

Acredito que temos que ter uma referência de artista pra gente se inspirar e depois criar nosso próprio perfil. Eu ouvia muito Tim Maia, Legião Urbana e a galera de funk da época, principalmente Claudinho e Buchecha e funk melody. Na época o funk carioca era bem diferente do que é agora, e também não era reconhecido igual está atualmente. 

Então o dom fui aperfeiçoando ao longo do tempo, ouvindo sempre as pessoas que já eram da música.

COMO NASCEU A MALANDRAMENTE – A LETRA, O RITMO, O ARRANJO?

A letra foi escrita pelo Nandinho e organizada pelo DJ RD. Na época, eu e Nandinho já nos conhecíamos, mas nunca tínhamos feito nenhuma parceria. Então um dia, no estúdio do Dennis DJ, ele teve a ideia de juntar a voz do Nandinho com a minha, e depois de gravarmos as duas ele enviou ao RD, que colocou o ritmo e fez o arranjo.

Assim que lançamos, o Denis já aproveitou pra fazer outro hit, a música “Vai Rebolar”. Na mesma época, o Félix [da South America Memes] fez o meme dos passarinhos, e foi aí que “Malandramente” estourou mesmo! Sou muito grato a SAM e ao Félix por isso!

NESSA ÉPOCA, EM QUE MOMENTO VOCÊ VIU QUE REALMENTE O HIT HAVIA VIRALIZADO?

A música viralizou mesmo com o meme da SAM, e eu realmente entendi o sucesso quando o Denis falou que eu ia para SP gravar o clipe. Isso foi em 2016. Aí eu comecei a sair na rua e as pessoas me reconheciam, falavam da música e tal. Em todo lugar que eu ia a música tocava! Eu achava muito louco [risos], no shopping, na rua, no trânsito…

E COMO VOCÊ SE SENTIU COM ESSA MUDANÇA NA VIDA?

Meu sentimento era de felicidade pura. Aquele sentimento bom de ter seu trabalho reconhecido depois de tanto tempo! No começo poucas pessoas acreditam em você, que você vai conquistar seu objetivo… Então foi um sonho realizado!

Mostrar o valor da humildade foi muito bom também. Porque acho que temos que usar nosso sucesso pra mostrar coisas boas pras pessoas, inspirá-las de alguma forma. Então poder falar “eu consegui” e dar esperança para outras pessoas foi incrível!

MUITO MANEIRO! E O NOME “NEGO BAM”, VOCÊ CRIOU OU JÁ ERA UM APELIDO?

Na minha comunidade, era comum todo mundo se chamar de “nego”, por exemplo: “Nego Wagner, vem cá”. Então também já me chamavam de nego.

O “Bam” veio da Capoeira, que eu jogava – e até dava mortal! (risos). Alguns colegas capoeiristas me chamavam de Bam lá, e aí eu resolvi juntar os dois. Mas como eu era da Música, coloquei o MC na frente, e aí ficou o MC Nego Bam.

AGORA SOBRE OS MEMES: COMO É SUA RELAÇÃO COM ELES? VOCÊ GOSTA DE VER, COMPARTILHAR ETC?

Eu vejo muito os memes da South America Memes, tanto no grupo do Facebook como no Instagram! Acho que os memes são a felicidade da Internet pra todo mundo! As pessoas estão tristes, vêem um meme e já ficam mais felizes.

E como eu sempre digo, a SAM é a maior comunidade de memes da Internet! Até quando eu fui em Portugal tinha gente falando da SAM!

PARA FINALIZAR, COMO TÁ SUA VIDA NESSA PANDEMIA? JÁ TEM PLANOS PARA O FUTURO?

Antes da Pandemia, eu morava no Espírito Santo, trabalhando com música ainda. Participava de algumas festas, casamentos etc. Já tinha uma turnê marcada para fevereiro, lá em Portugal. Quando começou a pandemia, porém, tivemos que cancelar.

Mas é o que eu sempre digo, é muito importante ter uma profissão “fixa”, mesmo fazendo o que você gosta. Por exemplo, eu amo a Música mas sou gesseiro também. E nessa pandemia, não pude fazer shows mas pude continuar com esse outro trabalho. Eu já tinha começado uma parceria com um conhecido meu relacionada a trabalhos com gesso e continuamos firmes!

E para os próximos meses, já planejo algumas parcerias musicais em São Paulo e com alguns Mcs parceiros também. Vem coisa boa por aí!


Como é? Compartilhe com seus amigos!

5
5 pontos